h1

Gestão de Tecnologia em Marketing Direto

janeiro 13, 2008

Com o crescimento do marketing direto no Brasil e, conseqüentemente, das empresas do ramo é fato que, cada vez mais, elas precisarão de estruturas respeitáveis de tecnologia.

Só investimento financeiro não garante o sucesso. A particularidade de TI em agências é gritante, gestores migrados de outros setores podem sofrer um bocado com isso.

Aplicar processos e procedimentos tradicionais de TI significa perda de agilidade, algo inaceitável no mundo de marketing.

O que seria um bom começo? Bem, montar uma infra-estrutura de alta escalabilidade, ter fornecedores ágeis e bons subordinados diretos é o básico.

No dia a dia, cuidado com o Hands on!! As pessoas te envolvem em todos os assuntos, e são muitos por dia. Isso pode te deixar sem tempo para gestão. Identifique os assuntos que realmente precisam da sua interferência, caso contrário, dele

gue.

Outro ponto a ser observado é que profissionais de marketing e tecnologia, por perfil, têm dificuldade de comunicação entre eles. Isso pode afetar na produtividade, gerando atraso em especificações, retrabalho, etc. Encontrar profissionais que conseguem visualizar as duas áreas e colocá-los em posições de interface é um grande facilitador.

Mas, existe um diferencial maior que manter o dia a dia em funcionamento, que é assimilar as novas tecnologias. É frustrante para um profissional de marketing quando uma idéia não vai adiante por alguma restrição tecnológica. Por isso, é preciso que todos em TI estejam antenados nas novas tendências, tenham envolvimento e empatia com o negócio da empresa.

Existem ainda muitas outras situações que não citei, ou que ainda não passei, mas por fim, estou certo de que uma postura essencial para a gestão de TI em Marketing Direto é: Aprenda mais sobre pessoas e menos sobre processos.

Anúncios
h1

TV Digital + Marketing Direto = Oportunidade

janeiro 13, 2008

Atenção, chegou de vez a TV Digital, e com elas as dúvidas. Tive a oportunidade de participar de um projeto piloto de T-commerce, que envolveu uma emissora, um site de e-commerce e uma operadora de cartão de crédito.

Então, vamos começar com algumas dúvidas e respostas. O ponto X da TV Digital é que ela é feita através de uma transmissão síncrona (permite que a emissora receba uma resposta da TV do usuário), ou seja, poderemos permitir uma interatividade constante.

A TV Digital é o primeiro passo de unificação entre Internet e TV, isso não significa que o site que hoje funciona na Web, funcionará na TV. As formas são diferentes e ele não tem um mouse e sim um controle de TV para navegar.

Daí a primeira oportunidade! As empresas terão de ter duas interfaces para seus sites para que este seja bem utilizado na TV e na Web e quem estiver apto a fazer isso vai ter uma demanda grande de trabalho.

Outra, é que as emissoras de TV precisarão de um grande Database para guardar as informações sobre o comportamento dos usuários, pois eles alcançarão um nicho de mercado mais abrangente. Eles poderão veicular propagandas diferentes, ao mesmo tempo, para público dirigido, ou seja, captarão clientes que hoje não têm o poder financeiro para uma propaganda em massa, abraçarão de vez o Marketing Direto.

É óbvio que procurarão parceiros que tenham grande expertise para transformar tudo isso em receita. Imaginem que uma mulher que estará assistindo a novela e gostou do vestido que a atriz está usando, apertando o botão,  poderá cair na loja de T-commerce que vende o mesmo e comprá-lo com o número do cartão de crédito!

Ou, o marido assistindo futebol, pode comprar a camisa do time, ou o filho comprar o boneco do desenho, e assim por diante. É um mundo fascinante, e se as pessoas forem visionárias, investirão, e colherão frutos em pouco tempo.